DRENAGEM LINFÁTICA

BELEZA + GRAVIDEZ

De bem com seu corpo

Os tratamentos que amenizam as mudanças na gestação e deixam você mais bonita

Mônica Brandão

Marcela cuida de sua beleza desde o começo da gravidez. No sétimo mês, se acha mais bonita do que antes

Grávida tem de comer bem e fazer atividades físicas. São atitudes insubstituíveis para uma gestação saudável, dizem os especialistas. Mas também tem de cuidar da beleza. Não é porque o abdome cresce, a cintura desaparece, seus pés e o nariz incham que você precisa ficar se sentindo feia. Nossa boa notícia: existe vida estética durante a gestação, após o parto e no período de amamentação, para você conviver melhor com todas as mudanças geradas pela gravidez. Com alguns cuidados e conhecimento do que é possível fazer a cada etapa, além de saudável, você pode ficar linda todo o tempo. Basta ter o consentimento do seu obstetra e o cuidado de checar se é alérgica a substâncias que poderá usar pela primeira vez.

Para ativar a circulação e combater celulite, estrias e o inchaço
NA GRAVIDEZ

Drenagem linfática é o tratamento estético mais indicado para a gestante. É uma massagem suave e lenta, que ajuda a reduzir a retenção de líquido no corpo e diminui os inchaços típicos da gravidez, que aparecem principalmente no primeiro e no último trimestre, segundo Zsuzsanna Jármy Di Bella, ginecologista e obstetra da Universidade Federal de São Paulo – ela própria no quarto mês da segunda gravidez e em busca de uma brecha na sua agenda para a drenagem. ‘É o que me permitirá calçar sapatos no nono mês’, brinca.

A drenagem deve ser feita por fisioterapeuta. O profissional pressiona e desliza a mão por todo o corpo, direcionando o excesso de líquido para os gânglios linfáticos, que trabalham para eliminá-lo pela urina. Academias, clínicas, spas, hotéis e até cabeleireiros oferecem o serviço. Para não correr riscos, verifique se o local ou o profissional são cadastrados na Sociedade Brasileira de Medicina Estética (www.sbme.org.br).

Lisa Wajsbrot, 29 anos, psicóloga, no quarto mês de gestação, experimentou a drenagem, ao receber sinal verde de seu obstetra. ‘Senti logo a diferença. Meu corpo desinchou, e me sinto mais disposta’, conta. A drenagem ativa a circulação, que fica mais lenta por causa do aumento de sangue no corpo da gestante. ‘E combate a celulite, pois diminui a retenção de líquidos, responsável pelos furinhos que se formam na pele’, explica Carla Góes Sallet, cirurgiã plástica especializada em medicina estética e autora do livro Grávida e bela: um guia prático de saúde e beleza para gestantes (Editora Senac, 2001).

Para a gestante que não gosta de massagem manual, a dermotonia, uma técnica francesa, pode ser a alternativa. É aplicada por profissional treinado, com um aparelho que faz uma levíssima sucção na pele, com os mesmos efeitos da drenagem manual. É a única técnica com aparelho que pode ser usada pela gestante. Se é a opção para você, cuidado: não a confunda com a endermologia, método semelhante, mas feito com sucção bem mais forte, imprópria para o período de gravidez. A aspiração pode causar varizes. Na gestação, os vasos ficam mais frágeis, devido ao aumento de volume sanguíneo.

Creme com vitamina C clareia manchas

As alterações hormonais na gravidez aumentam a chance de surgirem manchas e acnes no rosto. As primeiras, porque as células responsáveis pela pigmentação da pele são mais estimuladas. O ideal é ficar longe do sol e usar filtros solares com fator de proteção 15, no mínimo. Quem trabalha na rua ou se expõe à luz fluorescente deve aumentar a proteção para 20. Segundo a dermatologista Denise Steiner, cremes com vitamina C não interferem na gravidez e podem ser usados à noite, para ajudar a clarear a pele. ‘Depois do desmame, é possível fazer um tratamento com ácido retinóico para melhorar as manchas’, explica a dermatologista Lígia Kogos.

Na gravidez e na amamentação, o retinóico é proibido: passa pelo leite, causa malformação no feto e pode afetar o desenvolvimento do bebê.

Isso também vale para os peelings – descamações feitas com ácidos. ‘Cheque com o médico os produtos que usava, pois até mesmo alguns vendidos em drogarias podem conter ácidos’, alerta Denise Steiner. Para cuidar de possíveis acnes, a receita é lavar o rosto com sabonete à base de enxofre, fazer limpezas de pele (os cremes usados não contêm ácidos) e utilizar produtos indicados para peles oleosas, geralmente na forma de gel.

Plásticas e lifting envolvem os mesmos riscos de uma cirurgia e só devem ser feitos após o desmame. O mesmo é aconselhado para produtos que mexem com os músculos. ‘Como ainda não temos conhecimento científico dos efeitos do botox e dos cremes que contêm DMAE, o melhor é não usá-los até parar de amamentar’, explica a coordenadora do setor de Cosmiatria e Laser da Universidade Federal de São Paulo, Alessandra Haddad de Lima, grávida de sete meses.

Exercício sempre é bom!

Na gravidez
Os médicos são unânimes: a mulher que pratica exercícios durante a gestação, por mínimos que sejam, fica mais preparada para o parto, sofre menos com inchaços e dores lombares e recupera a boa forma mais rápido. Com o aval do médico, inicie caminhadas e alongamentos no primeiro trimestre e natação e hidroginástica nos meses seguintes. Se já faz musculação ou outra atividade, adapte-a a seu estado, com diminuição de ritmo, cargas e freqüência.

Após o parto
O indicado é voltar a exercitar-se depois de 60 dias, no caso de parto normal, e de 90 dias, se foi cesárea. Fique atenta aos seus limites, para não acabar lesionada. Comece com exercícios aeróbicos, como caminhada, esteira e bicicleta ergométrica, durante 30 minutos, pelo menos três vezes por semana. ‘É para voltar a ter resistência física’, sugere a professora de Educação Física especializada em gestantes Junia Cardoso, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. ‘O mais importante é a mulher vencer o cansaço e a culpa por se separar alguns momentos do bebê para pensar nela mesma. Isso é necessário, e seu bem-estar vai se refletir no do seu filho’, diz Junia.

Hidratação da pele do primeiro ao nono mês

As estrias, mais um sintoma comum na gestação, merecem sua atenção desde o início. Resultam do estiramento da pele, quando suas fibras se rompem. O problema aparece mais no abdome, coxas e mamas, partes que mais crescem na gravidez. Manter a pele bem hidratada é a melhor forma de prevenção. ‘Pelo menos duas vezes ao dia, a grávida deve usar cremes que contenham uréia, vitamina E, lanolina e óleos em sua formulação. Não adianta, como muitas pensam, só usar óleos’, sugere a dermatologista Lígia Kogos. Ela e outros especialistas apontam algumas opções: Maternité, da Payot (R$ 39,00), e o Mamãe e Bebê Emulsão Corporal para Gestantes, da Natura (R$ 31,30).

Uma dica é usar os cremes na hora da massagem. A pele fica hidratada, e você aproveita para relaxar. Para isso, o cuidado importante é procurar profissionais ou clínicas preparadas para trabalhar com gestantes. É que, ‘quanto mais avançada a gravidez, menos vigorosa deve ser a massagem’, explica o ginecologista e obstetra Arnaldo Schizzi Cambiaghi, autor do livro Manual da gestante: orientações especiais para a mulher grávida (Editora Madras, 2001). Ele faz outros dois alertas. Não use hidratantes sobre os mamilos, pois a pele dessa região deve estar mais endurecida para suportar a sucção do bebê na amamentação. E, ao fazer massagens ou drenagens, monitore sua pressão arterial. A pressão das gestantes tende a ser mais baixa no início da gravidez e pode cair ainda mais, e rapidamente, com tratamentos relaxantes. Se isso acontecer, o perigo é diminuir a quantidade de oxigênio fornecido ao feto.

Na primeira sessão de drenagem, Lisa já sentiu o corpo desinchar: ‘Também fiquei mais disposta’

Máscara de alga marinha no abdome

É o que a decoradora Alessandra Palomo, 32 anos, quase no fim do oitavo mês, usa para evitar estrias. ‘Não é meu tratamento preferido, porque tenho de ficar 20 minutos parada. Mas não dá para arriscar ter estrias agora, quando já cheguei até aqui sem’, diz Alexandra. Desde o início da gravidez, ela combinou a hidratação feita em casa com tratamentos em uma clínica de estética: drenagem linfática e dermotonia duas vezes por semana, além das máscaras de alga, ricas em vitamina E, um hidratante natural.

Alexandra também deixou de lado os banhos de sol que adora, para evitar manchas na pele. Na gravidez, aumenta a chance de elas aparecerem, porque os hormônios estimulam a pigmentação da pele. A empresária Marcela de Souza Barros, 29 anos, no sétimo mês, não fugiu do sol. ‘É meu único pecado, mas me protegi com filtro solar fator 30′, conta. Marcela começou se cuidar no primeiro mês da gestação e encheu o armário com cremes, além de fazer drenagem. Ela acha que vale a pena encaixar os tratamentos entre uma reunião e outra no trabalho, pois hoje se acha mais bonita do que antes. ‘Cuidar de mim grávida é uma delícia, a melhor parte do dia’, diz.

Estimulação elétrica não é bom

Os tratamentos para combater flacidez, feitos com aparelhos como o F1 e o Lipolise, que utilizam corrente elétrica para estimular a musculatura, não devem ser usados na gravidez. ‘Podem causar contração uterina e antecipar o parto’, alerta a ginecologista Zsuzsanna Di Bella. A drenagem linfática feita por aparelho também só é indicada após o parto, pois não há controle da pressão exercida sobre o corpo. As terapias intradérmicas, ou mesoterapia, feitas com injeções de substâncias como a fosfatidilcolina (lipostabil), para combater gorduras localizadas e celulites, não devem ser usadas nem no pós-parto, se você estiver amamentando o bebê. Não se sabe se essas substâncias ultrapassam a barreira placentária ou se o bebê as absorve pelo leite materno. E esqueça o bronzeamento artificial. Os médicos acreditam que pode fazer mal ao feto, além de causar câncer.

 

No sexto mês, Mariza mantém os cabelos iluminados. Reflexos, feitos longe do couro cabeludo, pode

Tinturas: só naturais e após o 3º mês

Você acaba de saber que está grávida, mas não precisa entrar em pânico se a raiz escura já aparece nos seus cabelos tingidos e as tinturas são proibidas na gestação. As tradicionais, à base de amônia, são realmente contra-indicadas, pois a substância pode entrar na sua corrente sangüínea pelo couro cabeludo e intoxicar o feto. Você pode usar tinturas sem amônia, xampus tonalizantes e hennas naturais. ‘Não fazem mal ao bebê’, assegura a dermatologista Denise Steiner. Mesmo assim, o mais indicado, dizem os médicos, é começar só após o primeiro trimestre da gravidez, época da formação do feto. Depois disso, também é permitida a realização de ‘reflexos’, da metade dos fios para as pontas, apenas uma ou duas vezes durante a gestação. A joalheira Mariza Aizentein Cohn, 36 anos, no sexto mês, faz exatamente isso. ‘Sempre tive meus cabelos mais claros. Quando vi que estava grávida, voltei os cabelos à cor original e iluminei com reflexos’, conta. Estão liberados hidratações e cosméticos como os finalizadores à base de silicone e os ativadores de cachos. Mas permanentes, alisamentos e o badalado alisamento japonês devem esperar, porque contêm amônia. ‘Após o parto, esses tratamentos podem ser realizados. Já foi provado que essa substância não passa pelo leite’, explica a pediatra Keiko Miyasaki Teruya.

 

DEPOIS DO PARTO, calma! É tempo de se recuperar

O parto foi bem, o bebê é saudável, você está amamentando seu filho e se entendendo otimamente com ele. Leva cerca de um mês para as coisas entrarem assim nos trilhos. Para algumas mulheres, essa é a hora de se olhar no espelho e ter vontade de correr para a primeira academia ou clínica, pedindo o corpo de volta. Calma, porque nesse momento nem tudo é liberado. E certas operações nem valem a pena. Plástica, lipoaspiração e implantes de silicone na mama, por exemplo, só são recomendados de seis meses a um ano após o parto. ‘A mulher deve ter paciência, porque esse é o tempo que o organismo leva para voltar ao normal. Antes disso, os resultados de cirurgia sofrerão interferência das mudanças que aconteceram na gravidez’, diz o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Luiz Carlos Garcia. ‘Primeiro, é melhor investir em exercícios e dieta, para depois pensar em plástica. Cirurgia é sempre um risco, que não se deve correr quando você acabou de ter um bebê que depende dos seus cuidados’, diz Garcia.

A médica Carla Góes Sallet já recebeu uma paciente que se arriscou à toa. ‘Depois de apenas três meses do parto, ela colocou um implante nas mamas. Isso já foi ruim porque, depois de um ano, os seios tendem a aumentar, e o resultado final da cirurgia ficaria maior do que o esperado. Mas ela engravidou depois de quatro meses. As mamas incharam novamente e se encheram de estrias. Não houve problema para amamentar o bebê, porque o implante não interfere na produção das glândulas mamárias. Mas a mãe terá as estrias para sempre’, conta.

Alessandra, chegando ao nono mês, comemora o corpo sem estrias ou retenção de líquidos. Tratamento com algas e dermotonia ajudam na prevenção

Usufrua dos benefícios da amamentação

Existem bons tratamentos estéticos para cuidar do corpo depois do parto. Mas nenhum tão natural e eficaz quanto amamentar seu filho. ‘A amamentação, além de fortalecer o vínculo entre mãe e bebê, faz a mulher gastar cerca de 800 calorias por dia e estimula o útero a voltar ao normal’, diz a pediatra Keiko Miyasaki Teruya, do Centro de Lactação de Santos (SP). Alimentação equilibrada e atividades físicas adequadas continuam importantes. As sessões de drenagem linfática podem ser retomadas 15 dias após o parto, dependendo da recuperação do corpo. Se surgiram estrias, é o momento de pensar nelas. Não há tratamento que as elimine, mas cremes com ácido glicólico, formulados por dermatologista, estimulam o colágeno da pele, com o efeito de tornar as estrias menos visíveis.

Tratamentos com laser, microdermoabrasão (lixamento da pele) ou substâncias injetáveis para as estrias devem esperar pelo fim da amamentação. O laser pode causar manchas, já que os hormônios da gestação ainda estão atuando. Com as duas outras alternativas, há risco de infecção, que poderá exigir tratamento com antibiótico. Não é bom no período de aleitamento, pois pode afetar o bebê.

Aparelhos de eletro-estimulação muscular, contra a flacidez, podem ser usados cerca de dois meses após o parto. A dica dos especialistas é começar pelas pernas, que não estarão tão frágeis quanto o abdome. No entanto, não há consenso entre eles sobre a eficácia dos resultados.

APÓS O DESMAME, hormônios e formas voltam ao normal

Cerca de três meses depois do desmame, você voltará a menstruar normalmente e – aí, sim – poderá contar com a normalização dos seus hormônios e de suas formas. É hora de cuidar das manchas que surgiram. Algumas, como a chamada ‘linha alba’ (que vai do umbigo ao púbis e aparece no fim da gestação), desaparecem sozinhas com o tempo. As outras podem ser tratadas com produtos à base de ácido retinóico, proibido na época da gravidez porque pode causar malformação no bebê. Na amamentação, há dúvidas sobre seu efeito, e os médicos preferem não arriscar: recomendam que não se use. Agora, as varizes e os pequenos vasinhos que surgiram na gravidez podem ser tratados com laser, sem risco de manchas. E, se o parto foi há seis meses, todos os outros tratamentos estão liberados. Com o avanço dos conhecimentos médicos, pode ser que você, assim como a empresária Marcela, chegue ao fim desse período mais bonita do que no começo.

About these ads

2 Respostas so far »

  1. 1

    katarina gabriella disse,

    adorei as informações estou com 12 semanas vou estar sempre por aqui…bjussssss

    • 2

      arquivom disse,

      Oi Katarina !
      Que bom falar com vc. Montei esse blog há pouco tempo e vc é meu primeiro contato, que gostoso !
      Parabéns !!! Vou querer acompanhar tudo, heim!
      Eu ainda estou na fase do planejamento, quero começar a tentar de setembro desse ano pra frente. E que eu só tenho 9 meses de casada + 8 de namoro, então queremos aproveitar um pouquinho mais. Mas que o relógio biológico tá gritando por um nenén logo, ele tá. É que não posso esperar muito mais também pq já tô com 34 anos.
      Mas precavida que sou já comecei a pesquisar e colocar aqui todas as minhas dúvidas e incertezas, como alimentação, estrias, celulite, volta ao peso depois, etc.
      Mas me conta um pouco de vc agora.
      beijos


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: