Archive for abril, 2009

QUESTÃO DE PELE

007_012

 

Será que vou ter estrias? Por que meus mamilos estão escuros? Voltei à adolescência… estou cheia de espinhas!
Socorro, meu rosto está todo manchado!
Praticamente todas as gestantes já tiveram dúvidas como estas. As alterações dermatológicas na gravidez são mais comuns do que você imagina. E a culpa mais uma vez é dos hormônios

A pele é o maior órgão do corpo humano. E é normalmente um dos maiores alvos de preocupação das mulheres quando o assunto é beleza. O que dizer, então, durante a gravidez, quando o sobe e desce dos hormônios provoca uma verdadeira revolução e a necessidade de se sentir bonita fica ainda mais evidente?

Melasma, estrias, acne… A lista de vilões é grande. Não há dúvida de que os cuidados com a pele precisam ser redobrados e a gestante deve estar consciente de que algumas alterações são obrigatórias, mas passageiras. Outras são passíveis de prevenção e há ainda aquelas que vêm para ficar e só vão embora depois de um tratamento estético no pós-parto.

É importante salientar que essas modificações podem afetar a auto-estima da futura mamãe, mas não provocam problemas físicos no bebê. No entanto, sentir-se bela e de bem com a vida durante a gravidez só pode influenciar positivamente o desenvolvimento de seu filho.

Sempre Materna conversou com a dermatologista Thaís Adura Pepe, responsável pelo setor de dermatologia do berçário das Maternidades Pro Matre Paulista e Santa Joana, que nos explica quais são as alterações dermatológicas mais comuns durante a gestação e como lidar melhor com elas. E a médica tranqüiliza: a prevenção ainda é o melhor remédio.

Quais são as alterações dermatológicas mais comuns na gravidez?
As alterações mais comuns deste período são,sem dúvida, as pigmentares, acometendo mais de 90% das gestantes. Entre elas podemos citar o melasma, as estrias, hiperpigmentação, acne…
Por isso, todos os dermatologistas aconselham as grávidas a fugirem do sol, porque, sem dúvida, ele intensifica a hiperpigmentação.

Os hormônios da gravidez provocam um turbilhão de mudanças no corpo da gestante. Eles também podem ser considerados os vilões em relação aos problemas de pele?
Certamente. A maioria das alterações que ocorre na pele durante a gestação se deve ao aumento dos níveis de hormônios como estrogênios, progesterona, prolactina, entre outros. Mas é bom lembrar que a influência dos hormônios não é igual em todas as mulheres. Se para algumas eles agem como vilões, em outras podem surtir um efeito bastante positivo, deixando a pele mais brilhante e bonita.

Por que algumas partes do corpo ficam mais escuras durante a gestação?
A maioria das gestantes terá um aumento da pigmentação das aréolas dos seios, axilas, genitália, região interna da coxa e o aparecimento de uma linha, chamada linha nigra, que se estende do umbigo até a região púbica. Esses locais se tornam mais escuros devido a um aumento de melanina, estimulado pelas alterações hormonais. Todas essas alterações de pigmentação são mais intensas nas pacientes morenas, pois elas produzirão maior quantidade de melanina.

Como evitar o melasma? Se não for possível, qual o tratamento indicado?
O melasma, antigamente chamado de cloasma gravídico, são manchas localizadas na fronte, região malar, lábio superior (buço)
e dorso nasal. Para prevenir seu aparecimento, todas as gestantes devem utilizar filtro solar diariamente, com FPS 30, no mínimo. Apenas 30% das gestantes não apresentarão regressão espontânea do melasma, e uma vez adquirido pode ser tratado com cremes à base de hidroquinona, ácido retinóico e peelings. É importante frisar que o ácido retinóico não pode ser utilizado em gestantes ou lactantes, mas estas pacientes podem tratar o melasma com outros despigmentantes.

Por que a maioria das grávidas desenvolve estrias?
As estrias são pequenas cicatrizes provocadas pelo estiramento abrupto da pele. Quando surgem são avermelhadas e vão ficando brancas com o passar do tempo. Geralmente aparecem no abdome e nas mamas, podendo atingir também dorso, coxas e braços. As estrias acometem de 50 a 90% das gestantes e a principal causa é a predisposição genética, associada às alterações hormonais e à distensão excessiva da pele.

O uso de cremes e óleos hidratantes realmente evita o surgimento de estrias?
Sim, certamente, mas não é só isso. Além de uma hidratação adequada, com cremes à base de uréia, lactato de amônio, óleo de amêndoas, entre outros, deve-se levar em conta outros fatores para uma prevenção eficaz: entre eles o controle do peso, prática de atividades físicas e dieta balanceada.

Quais os tratamentos mais eficazes para amenizar as estrias adquiridas durante a gestação?
Existem muitos tratamentos para estrias após o parto. Porém e fato que quando elas estão no início os resultados são melhores. Os métodos mais indicados são os peelings associados a microdermoabrasão ou à luz intensa pulsada, subcision, entre outros.

Geralmente os cabelos das gestantes ficam mais bonitos e fortes. Por que isso acontece?
Durante esta fase, os cabelos aumentam em quantidade, e isso se deve a um aumento na proporção de fios em fase de crescimento em relação aos em queda. Essa mudança ocorre provavelmente por causa do aumento nos níveis dos hormônios estradiol e progesterona.

É verdade que as gestantes são mais propensas a desenvolver acne? Por quê?
A tendência da acne neste período é de melhora, principalmente nas pacientes que já possuíam, mas muitas gestantes apresentam surgimento ou piora durante a gravidez. Isso se deve a um aumento da oleosidade da pele e, mais uma vez, aos hormônios. Para evitar ou amenizar o problema, é importante fazer uso de cosméticos adequados para cada tipo de pele, pois eles podem causar ou piorar a acne. Importante destacar que os filtros solares para uma pele acneica devem ser em gel, gel creme ou loção oil free.

Quais tratamentos estéticos não são recomendados durante a gravidez?
O uso de ácido retinóico é proibido durante a gestação. Qualquer tratamento estético mais agressivo deve ser evitado, como toxina botulínica, preenchedores, peelings mais profundos e laser, apesar de não haver estudos que comprovem o malefício de muitos desses tratamentos.

Como manter a pele bonita durante a gravidez?
Para a gestante manter uma pele saudável, ela deve utilizar produtos de acordo com seu tipo de pele. Se for seca, hidratar adequadamente, na pele acneica podem ser usados géis ou loções com peróxido de benzoíla. E nunca, nunca esquecer o protetor solar, também adequado ao seu tipo de pele. Existem inúmeros cosméticos que podem e devem ser usados durante a gravidez. Um dermatologista pode prescrever os melhores produtos para um cuidado diário sem riscos.

Durante a amamentação, a mulher também é acometida de alterações dermatológicas? O que muda em relação à gravidez?
Na fase da lactação, todas as alterações dermatológicas que ocorreram durante a gravidez estarão em regressão. Porém, neste período, a paciente está sensível, ocorrem inúmeras mudanças em seu organismo e é importante estar ciente de que é um momento de transformações no corpo, mas a boa notícia é que tudo voltará ao que era antes. Mais cedo ou mais tarde…

Anúncios

Leave a comment »

GANHO DE PESO NA GRAVIDEZ

Qual é o ganho de peso ideal na gravidez?

Antes de qualquer coisa, ponha na sua cabeça que não tem jeito, você vai engordar. O ganho de peso é necessário porque seu corpo está crescendo e mudando, para proporcionar as melhores condições ao bebê. Veja para onde vão os quilos extras:

• Ao nascer, o bebê vai pesar em torno de 3 kg.

• Ao longo da gravidez, a camada muscular do seu útero cresce bastante, e passa a pesar 900 g a mais.

• A placenta, que nutre o bebê, pesa 600 g ao final da gravidez.

• Seus seios aumentam de tamanho e pesam 400 g a mais.

• O volume de sangue que circula no seu corpo cresce, e todo o sangue extra pesa 1,2 kg.

• Você acumula líquido no organismo, além do líquido amniótico que envolve o bebê, num total em média de 2,6 kg.

• Além disso, você acumula gordura no corpo durante a gravidez para garantir um estoque extra de energia para a fase da amamentação. Esse total é de cerca de 2,5 kg.

Portanto, ao final da gravidez, por essa média, você estaria pesando 11,2 kg a mais do que pesava antes de engravidar. É claro que as coisas não funcionam bem assim, já que ninguém é uma média. Nossa calculadora do ganho de peso na gravidez vai lhe dar uma estimativa mais personalizada. Existem variações, mas o ganho de peso da gravidez está intimamente ligado ao seu IMC (índice de massa corporal) de antes de engravidar. (veja a seção Como calcular seu IMC, abaixo).

O obstetra vai me pesar em todas as consultas?

 

Publicidade

 

Muito provavelmente sim, já que a pesagem faz parte da tradição do controle do pré-natal no Brasil. Em alguns países, entretanto, os médicos se deram conta de que esse momento acaba deixando as pacientes mais estressadas que qualquer coisa, e que o dado não é tão importante assim para avaliar o andamento da gestação. Um ganho de peso repentino, porém, vai ser percebido visualmente tanto pela mulher como pelo obstetra, e deve ser avaliado com atenção (assim como o pouco ganho de peso).

 

 

Como calcular seu IMC

O IMC deve ser calculado em relação ao peso e à altura de antes da gravidez. O cálculo do índice de massa corporal é feito da seguinte forma (se não quiser quebrar a cabeça com contas, use nossa calculadora do IMC):

1. Multiplique sua altura em metros por ela mesma (1,60 ao quadrado, por exemplo, que dá 2,56).
2. Divida seu peso em quilos por esse número. Se você pesa 60 kg, o IMC será 60 dividido por 2,56 = 23,43.

O IMC é classificado da seguinte forma:
IMC de menos de 18,5 – Abaixo do peso
IMC de 18,5 a 25 – Ideal
IMC de 25 a 30 – Acima do peso (sobrepeso)
IMC de 30 a 40 – Obesidade
IMC acima de 40 – Obesidade severa

O IMC e o ganho de peso na gravidez

A recomendação do Instituto de Medicina dos Estados Unidos é de que as mulheres calculem o ganho de peso ideal com base no IMC de antes da gravidez. Quanto maior o IMC inicial, menor deve ser o ganho de peso.

• Se o IMC era de menos de 19,8, o ganho de peso ideal é de 12,5 kg a 18 kg.

• Se o IMC era de 19,8 a 26, o ganho de peso ideal é de 11,5 kg a 16 kg.

• Se o IMC era acima de 26, o ganho de peso ideal é de 7 kg a 11,5 kg.

Para mulheres de menos de 20 anos, o recomendado é engordar o maior número de quilos dentro da faixa de peso ideal para seu IMC.

E quando a mulher já estava acima do peso?

Os especialistas afirmam que mulheres com IMC pré-gravidez mais alto devem tentar engordar o menos possível na gestação. O ganho excessivo de peso pode aumentar o risco de hipertensão e diabete gestacional, além de o bebê poder ficar grande demais.

Mas não é para tentar fazer regime. Pesquisas mostram que, para mulheres grávidas acima do peso, ou que tenham engordado mais que o recomendável na primeira metade da gestação, uma dieta de baixa caloria não reduz o risco de pressão alta ou pré-eclâmpsia. O bebê também não será beneficiado se você fizer regime.

O melhor a fazer é conseguir orientações sobre como se alimentar de forma sensata e balanceada, para que os quilos não se acumulem demais, mas o bebê cresça saudável. Tente manter a alimentação normal e diminuir o consumo de coisas como bolachas, bolos, doces e sorvetes, que não são muito nutritivos.

E quando a mulher engravidou magra demais?

O ideal é que uma mulher abaixo do peso não tente engravidar antes de chegar a um mínimo normal. Uma das dificuldades é a própria fertilidade, que fica afetada. Além disso, quando se está abaixo do peso o bebê pode nascer pequeno, e bebês pequenos podem ter problemas. Se você já está grávida, converse com seu obstetra ou procure um nutricionista para receber orientações sobre a alimentação ideal para você e para o bebê.

Diabéticas têm recomendações especiais?

Para diabéticas, é especialmente importante engravidar com um IMC saudável. Se você está lendo este artigo antes de engravidar, converse com seu médico sobre sua alimentação. Caso você já esteja grávida, terá de tomar cuidados especiais para manter seus níveis de açúcar no sangue estáveis. Peça aos seus médicos orientações sobre a alimentação mais saudável para o seu caso.

Como controlar o peso

Não precisa se estressar com a alimentação. Basta ser razoável. Uma mulher grávida precisa de cerca de 2.500 calorias por dia. Uma alimentação sensata é a que tem cinco porções de frutas, verduras e legumes por dia, e alimentos de todos os grupos:

• Cerca de 10 por cento das suas calorias deve vir de proteínas, como carne, peixe, ovos e grãos.

• Cerca de 35 por cento das suas calorias deve vir de derivados do leite, como manteiga e queijo, e de gordura (por exemplo a gordura da carne ou do frango, nozes e amêndoas etc.). A proporção é um pouco menor para quem está acima do peso.

• Cerca de 55 por cento das suas calorias (a maior parte) deve vir dos carboidratos, como pão, macarrão, arroz, feijão e cereais em geral. Produtos integrais são melhores que os feitos com farinha branca. Além de mais saudáveis, eles prolongam a sensação de saciedade.

Não há problema em comer um chocolate de vez em quando, mas não se esqueça de que quase tudo o que você engordar na gravidez vai continuar no seu corpo por um tempo depois que o bebê nascer. Emagrecer logo depois do parto não é lá muito fácil.

……………….

Resultados da calculadora do ganho de peso na gravidez

Fonte: American College of Obstetricians and Gynecologists.

Lembre-se, os dados fornecidos são apenas uma estimativa.
Você provavelmente vai engordar 6,8 kg – 11,3 kg durante sua gravidez.

• Leia mais sobre o ganho de peso ideal na gestação.
• Veja nossas dicas sobre como se alimentar bem.

Se você engordou em média os quilos acima, é assim que o peso se distribui (números arrendondados):

Você:
Útero 0,6 kg
Seios 0,3 kg
Sangue 0,8 kg
Água 1,0 kg
Gordura 2,1 kg
Subtotal 4,8 kg
Seu bebê:
Feto 3,4 kg
Placenta 0,4 kg
Líquido amniótico 0,5 kg
Subtotal 4,3 kg
Total 9,1 kg

Leave a comment »